GCNBRASIL.

Gestão de Crises e Continuidade dos Negócios

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Resolução nº 4.557 - Gerenciamento integrado de riscos

Email Print PDF

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou na quinta-feira, 23 de fevereiro, a Resolução nº 4.557, que trata do gerenciamento integrado de riscos e do gerenciamento de capital (GIR) das instituições financeiras. Esta é a primeira normatização realizada pelo CMN após o estabelecimento da nova segmentação do setor financeiro. A estrutura de gerenciamento de riscos prevista pela resolução contempla a Gestão de Continuidade dos Negócios e finalmente define os requisitos básicos para a GCN em instituições financeiras.


Segundo a resolução, em seu artigo 7, a estrutura de gerenciamento de riscos deve prever políticas e estratégias, claramente documentadas, para a gestão de continuidade dos negócios. Os requisitos para a GCN são descritos na seção III artigo 20, de forma mais detalhada do que apresentado na resolução nº 3380, onde os requisitos da GCN eram descritos em um único item - "prever a existência de plano de contingência contendo as estratégias a serem adotadas para assegurar condições de continuidade das atividades e para limitar graves perdas decorrentes de risco operacional."

O artigo 20 é reproduzido a seguir:

Art. 20.  As políticas para a gestão de continuidade de negócios de que trata o art. 7º, inciso IX, devem estabelecer:

I - processo para análise de impacto nos negócios que inclua:
a) identificação, classificação e documentação dos processos críticos de negócio;
b) avaliação dos potenciais efeitos da interrupção dos processos mencionados na alínea “a”;

II - estratégias para assegurar a continuidade das atividades da instituição e limitar perdas decorrentes da interrupção dos processos críticos de negócio;

III - planos de continuidade de negócios que estabeleçam procedimentos e prazos estimados para reinício e recuperação das atividades em caso de interrupção dos processos críticos de negócio, bem como as ações de comunicação necessárias;

IV - testes e revisões dos planos de continuidade de negócios com periodicidade adequada.

§ 1º  A política e os planos de continuidade de negócios devem considerar os serviços prestados por terceiros, quando relevantes.

§ 2º  Os relatórios gerenciais mencionados no art. 7º, inciso X, devem incluir os resultados dos testes e das revisões de que trata o caput, inciso IV.

A resolução não difere do apresentado nas normas ISO 22301 e ISO 22313 ou nas práticas do DRII e BCI, mas é um primeiro passo para a regulamentação da GCN no Brasil. Quem sabe no futuro não teremos uma resolução tratando exclusivamente de continuidade.

Para acessar a resolução clique aqui.

 

Fonte: www.bcb.gov.br

 

PUBLICIDADE

PARCEIROS


Translate

Portuguese English French German Italian Spanish

Creative Commons License
Site GCNBRASIL - Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.